A Onda do Mar

A Onda do Mar

Imagina que você está sentado na areia da praia contemplando o mar, o infinito de águas que se movem em direção ao horizonte. Esse movimento é que mantém o mar vivo em sua essência, as ondas se formam inocentemente sem intenções, bem leves e vão segundo o seu curso, crescendo, crescendo até chegar à praia e se dissipar de forma brusca ou de forma leve.

Quanto mais nos adentramos ao mar, mais sentimos a ebulição das águas, precisamos estar firmes para não ser engolido pela força desse movimento, que leva de volta a água para o seu curso natural. E assim, a onda vem, a onda vai, nada se perde, é apenas movimentos, tudo volta ao seu devido lugar, as vezes modificados levando coisas encontradas pelo caminho, ou devolvendo à praia aquilo que não lhe pertence.

Vamos imaginar que somos esse imenso mar, a nossa vida segue o seu curso como a água do mar, alguns momentos não há movimentos mais bruscos ou agitação, tudo está em paz, os conflitos estão bem administrados e até com momentos felizes, confortantes em se contemplar. Mas como tudo que tem vida não é estático também enfrentamos momentos de turbulências, ondas de emoções que se formam como marolas e vão crescendo, crescendo chegando a assustar-nos com sua força e determinação para nos abalar.

Assim como enfrentamos a onda do mar, pés fincados na areia, firmes para não sermos derrubados, precisamos ter posicionamentos firmes, frente às emoções difíceis de serem enfrentadas, estar preparados para quando elas chegarem não nos abalar, que possamos ser pacientes, esperar a fúria passar e se dissipar, tornando-se apenas marolas. Quem sabe podemos até surfar?

Ondas de dificuldades e más notícias se formam e vão crescendo, crescendo, e  esse imenso mar de emoções se torna perigoso em sua plenitude. Porém, como a onda do mar vai perdendo suas forças ao chegar na praia, assim são as nossas emoções, devemos estar conscientes de sua trajetória, aceitando o processo e nos prepararmos para não cair.   As emoções vêm e vão, elas crescem, mas não permanecem na mesma intensidade.

Nadar em direção contrária não é inteligente, a negação dos fatos nos levam a ignorar as possibilidades de soluções. Aceitar, esperar, enfrentar e se posicionar com determinação, são atitudes que nos abrem caminhos mais seguros.        

   Martha Prado

                                   

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *